quinta-feira, janeiro 18, 2018

ABBAS MOSTRA A SUA VERDADEIRA FACE

Afundando-se cada vez mais no próprio esterco que vai produzindo, o líder da Autoridade Palestiniana, vai aos poucos perdendo o controle da sua habitual hipocrisia, desmascarando-se publicamente e revelando quais são os seus reais intentos.
E o tema da sua controvérsia não poderia ser outro que não a questão incontornável de Jerusalém.
No seu discurso ontem proferido na Universidade Al Azhar, na cidade do Cairo, Mahmoud Abbas fartou-se de debitar as suas habituais mentiras, imposições e distorções da realidade histórica. Desde há muito que esta raposa velha nos demonstrou que, quando fala em inglês diz uma coisa, mas quando fala em árabe, o seu discurso é completamente diferente, muito mais próximo daquilo que o seu coração anti-semita vai germinando.

Usando o tempo para transmitir ao presidente Donald Trump um ultimato relacionado com Jerusalém e o anúncio da mudança da embaixada norte-americana para a capital de Israel, Jerusalém, Abbas vociferou: "Jerusalém é o portão da paz ou da guerra - Trump tem que escolher" - disse, acrescentando que a cidade seria "um portão para a paz apenas quando for a capital da Palestina."
Para além de classificar a decisão de Trump como "pecaminosa", o líder árabe, que de tanto mentir já pensa estar a dizer a verdade, teve a ousadia de afirmar que os palestinianos sempre têm agido de forma pacífica e que continuarão a fazê-lo, alegando que "uma resistência popular e pacífica é o caminho para o sucesso, e irá ser prosseguido."
Falta saber qual o significado da palavra "pacífica" na mente deste homem que se tem mostrado claramente condescendente com os inúmeros actos terroristas cometidos pelos seus parceiros palestinianos ao longo de décadas...
Pacifismo para esta velha raposa deve significar obviamente facadas e tiros, já para não falar em explosivos mortíferos...
E o incorrigível mentiroso compulsivo, insistiu no seu chafurdar na lama que ele próprio vai criando, para debitar que "recorreremos a todas as opções, mas não recorreremos ao terrorismo e à violência." Agora percebem-se certamente sinais de demência e profunda amnésia neste amaldiçoado inimigo de Israel, uma vez que qualquer pessoa de bem se lembrará que ele nunca tem levantado a voz para condenar os incontáveis actos de terrorismo palestiniano...bem pelo contrário...

APELO AOS CRISTÃOS E MUÇULMANOS...MAS NÃO AOS JUDEUS
O líder árabe apelou ainda aos cristãos e aos muçulmanos do mundo inteiro para "defenderem" Jerusalém. No seu discurso de ontem, Abbas repetiu por diversas vezes que Jerusalém era uma cidade para cristãos e muçulmanos, nunca mencionando no entanto os judeus.
Abbas insistiu que a administração palestiniana sobre Jerusalém abriria a cidade a todas as religiões, incluindo o judaísmo. Ora vá alguém de bom senso acreditar neste enganador, líder de um grupo que diariamente trata de destruir todas as evidências da presença e ligação histórica dos judeus à sua capital eterna, Jerusalém...Vá alguém esquecer o que foram os 19 anos de dominação jordana islâmica em Jerusalém "oriental", destruindo sinagogas e lugares de culto judaicos...

"DESCENDENTES DOS CANANEUS..."
Mas a fértil imaginação deste candidato a prémio Nobel da mentira não se fica por aqui. No seu discurso em árabe teve o arrojo de reformular a História à sua maneira e a seu bel prazer, tal como é prática do islamismo que ele tão bem representa. Voltou agora a insistir na velha paranóia de que os palestinianos são descendentes dos cananeus: "Estamos aqui há 5.000 anos, desde os dias dos cananeus que construíram Jerusalém. Nós somos os cananeus" - vociferou Abbas - "temos permanecido aqui e não abandonaremos a nossa terra."
Perante esta afirmação, eu, branco de olhos azuis, nascido e criado em Portugal, declaro que sou descendente de chineses...
"Agarramo-nos à paz como escolha para o nosso povo" - continuou Abbas, confirmando mais uma vez a sua incorrigível inclinação para a mentira despudorada - "mas não a paz a qualquer custo. (Uma paz) baseada em decisões internacionais que asseguram o estabelecimento de um estado palestiniano nas fronteiras de 1967" - afirmou Abbas, referindo-se às fronteiras que existiam na região antes da Guerra dos Seis Dias, quando a Judéia, a Samaria e Jerusalém oriental foram ocupadas pela Jordânia em contravenção às leis internacionais.

E é este homem que a esmagadora maioria dos países considera ser um verdadeiro e honesto parceiro para a paz no Médio Oriente. Assim vai este triste mundo...

Shalom, Israel! 

segunda-feira, janeiro 15, 2018

NETANYAHU RECEBIDO EM EUFORIA NA ÍNDIA

A visita do primeiro-ministro israelita à Índia não podia começar da melhor maneira: à sua chegada ontem ao aeroporto da capital Nova Deli, Netanyahu foi recebido com um longo e efusivo abraço do primeiro-ministro indiano Narendra Nodi, que se deslocou inesperadamente ao aeroporto da capital indiana para recepcionar o primeiro-ministro de Israel.
"Bem vindo à Índia, meu amigo primeiro-ministro Netanyahu. A sua visita à Índia é histórica e especial. Esta visita irá fortalecer os fortes laços entre as nossas duas nações" - escreveu Modi num tweet em hebraico. E Netanyahu não demorou em responder também com um tweet: "Muito obrigado, meu caro amigo Modi, pela recepção pessoal e calorosa à Índia. Apreciei este gesto."
Esta visita dá-se apenas alguns meses depois da visita de Modi a Israel, onde foi calorosamente acolhido pelo primeiro-ministro israelita, tendo na altura sido assinados vários acordos multi-laterais de cooperação e investimentos.
Esta visita histórica de Netanyahu à Índia - a primeira desde a de Ariel Sharon em 2003 - tem um forte cunho comercial, uma vez que o primeiro-ministro se faz acompanhar de uma forte delegação de 130 empresários - a maior de sempre alguma vez levada por um líder israelita.

ASSINADOS 9 ACORDOS DE COOPERAÇÃO
Já foram entretanto assinados nove grandes acordos de cooperação bilateral, que passam desde a aprovação inicial para que companhias energéticas indianas possam explorar petróleo e gás no Mediterrâneo Oriental à possibilidade de livre comércio entre as duas nações. Modi convidou as empresas israelitas a aproveitarem as regras liberalizadas no sector da defesa indiano para "fazerem mais na Índia com as nossas empresas."
Nestes últimos anos têm havido bastantes compras de armamento israelita por parte da Índia, país que tem apreciado a forma como Israel tem estado a enfrentar o terrorismo islâmico.

"Temos tido relações diplomáticas nestes últimos 25 anos, mas algo de diferente está acontecendo agora" - afirmou Netanyahu pouco depois de ambas as partes terem assinado 9 acordos que incluem a segurança cibernética e a exploração espacial e de petróleo e gás natural.
O comércio bilateral entre a Índia e Israel pulou dos 200 milhões de dólares em 1992 para os actuais 4,16 biliões, favoráveis em grande parte a Israel.
Netanyahu planeia aumentar as exportações para a Índia em 25% nestes próximos 5 anos. 

Shalom, Israel!





sexta-feira, janeiro 12, 2018

CIENTISTAS ISRAELITAS CONSEGUIRAM REVERTER EM 30% O AVANÇO DAS CÉLULAS CANCERÍGENAS NO CANCRO DE PEITO

Sempre à frente na investigação médica e científica, Israel tem proporcionado ao resto do mundo grandes avanços benéficos à saúde e ao bem estar individual.
Uma empresa sediada na cidade de Haifa anunciou hoje os resultados prometedores de um estudo desde há dois anos conduzido naquela cidade israelita.
Os pesquisadores conseguiram ter sucesso na interrupção significativa do crescimento de células cancerígenas em ratas de laboratório, tanto mais que se trata de um tipo de cancro do peito muito agressivo que é difícil de tratar.
O tratamento actual para esse tipo de mal inclui uma combinação de cirurgia, rádio terapia e de quimioterapia. Este estudo agora divulgado revelou que 30 por cento das ratas de laboratório tratadas com as injecções deste novo produto exibiram um recuo total dos tumores cancerígenos.
O novo tratamento baseia-se na fórmula "Placental Expanded (PLX)."

Shalom, Israel!

quinta-feira, janeiro 11, 2018

ISRAEL IMPEDIU DEZENAS DE GRANDES ATAQUES TERRORISTAS COM AVIÕES NA EUROPA

Numa reunião realizada na passada Terça-Feira com um grupo de embaixadores de vários países da NATO - "Organização do Tratado Atlântico Norte (OTAN)" - o primeiro-ministro israelita Benjamin Netanyahu deu-lhes conhecimento de que os serviços secretos de Israel conseguiram impedir "várias dezenas de grandes ataques terroristas" contra cidades europeias, incluindo alguns do tipo do "11 de Setembro" envolvendo a aviação civil.
"Quando falamos acerca do ISIS, é importante entender que Israel ajuda a Europa de duas formas fundamentais: a primeira é que temos através dos nossos serviços secretos fornecido informação que impediu a prossecução de várias dezenas de grandes ataques terroristas, muitos deles em países europeus. Alguns destes poderiam ter sido grandes massacres da pior espécie que o solo europeu jamais experimentou, e ainda pior, porque envolveriam a aviação civil. Israel conseguiu impedir isso, ajudando dessa forma a salvar inúmeras vidas de europeus" - informou o primeiro-ministro, sem contudo especificar detalhes.
Segundo Netanyahu, a segunda forma é o facto de Israel ser uma força poderosa no combate ao terrorismo global nas suas próprias fronteiras, precisamente na fronteira Sul, na península egípcia do Sinai.
"O ISIS está sendo destruído no Iraque e na Síria, mas está tentando estabelecer uma base territorial alternativa no Sinai. Israel está contribuindo para impedir isso através de um sem número de formas" - afirmou Netanyahu, acrescentando: "Eu diria de forma genérica que Israel é a força mais poderosa no combate ao islamismo radical  em todo o Médio Oriente."

O PROBLEMA DO IRÃO
Netanyahu informou ainda os embaixadores presentes no encontro que o objectivo do Irão de "conquista e colonização da Síria" inclui planos para trazer até 100.000 combatentes xiitas reunidos de outros países islâmicos, operando todos sob o comando iraniano. O Irão é uma aliado próximo e apoiante do regime do ditador presidente sírio Assad, numa guerra civil que já dura há 6 anos e que já custou mais de 250.000 vidas. O Irão também apoia o Hezbollah no Líbano, na esperança de fundir essas alianças, formando uma ponte de acesso ao Mediterrâneo. Na tentativa de alcançar esse objectivo, o Irão tem recentemente feito várias tentativas para estabelecer bases militares na Síria.
"Veremos o filho do ISIS e o neto da Al-Qaeda lutando contra essa nova força xiita" - avisou Netanyahu, prosseguindo: "Para onde é que vai ser derramado o resultado de um conflito sunita-xiita na Síria? Para a Europa. Para onde é que fugirão as populações? Para a Europa. Quem é que está actualmente a impedir isso? Israel. Sim, e neste momento só Israel. Mas insisto que é um assunto do interesse comum a todos nós."

Shalom, Israel!

terça-feira, janeiro 09, 2018

COMBOIO RÁPIDO ENTRE TEL AVIV E JERUSALÉM SERÁ INAUGURADO NA PASCOA

Finalmente, e ao fim de 17 anos de obras, o comboio rápido que unirá as duas maiores cidades de Israel em 28 minutos vai ficar pronto a operar.
Segundo o ministro dos Transportes de Israel, Israel Katz, a inauguração desta linha deverá ocorrer por volta do início das Festas da Páscoa judaica, que começa na noite de 30 de Março próximo.
Segundo um canal de TV israelita, as viagens feitas neste comboio durante os primeiros 3 meses serão gratuitas.

Shalom, Israel!